Obama propõe que EUA e Brasil sejam “parceiros igualitários”

obama-eua-brasil

Em discurso de 15 minutos proferido diante de 2.200 convidados no Theatro Municipal do Rio, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou ontem o interesse de seu país em construir uma parceria igualitária com o Brasil.

“Quando vocês confrontam os muitos desafios que ainda têm dentro e fora do país, vamos ficar juntos, não como parceiros sênior e júnior, mas como parceiros igualitários”, propôs.

“Nossas nações enfrentam muitos desafios. Na estrada à frente, encontraremos muitos obstáculos. Juntos, podemos avançar em nossa prosperidade comum”, afirmou Barack Obama citando o comércio e a segurança energética numa referência aos avanços brasileiros com biocombustíveis e petróleo.

O presidente norte-americano elogiou a ascensão do Brasil à posição de potência mundial democrática. Disse que o Brasil emergiu de décadas de desempenho econômico pobre para se tornar uma economia poderosa e uma democracia próspera. E, ao lembrar a ditadura militar do período 1964-1985, acentuou que a transição para a democracia no Brasil serve como exemplo para países do Oriente Médio, onde os manifestantes estão pressionando por mais liberdade política.

“O Brasil é um país que mostra como exigir uma mudança pode começar numa rua e transformar uma cidade, um país, o mundo. Um dos jovens mudou isso: filha de imigrantes, foi presa, mas sabe o que é superar e hoje é presidente desta nação“, afirmou Obama ao citar a presidente Dilma Rousseff como exemplo de pessoa que sabe superar dificuldades.
Barack Obama iniciou seu pronunciamento desejando, em português, boa tarde a todos os brasileiros.

“Alô, Rio de Janeiro!” saudou para, em seguida, mencionar o clássico Vasco x Botafogo. Recebeu algumas vaias e reagiu sorrindo. Disse que sabe que o futebol é um assunto muito sério aqui. Ele citou o compositor Jorge Ben Jor ao dizer que o Brasil é um país tropical abençoado por Deus e bonito por natureza. E citou também o escritor Paulo Coelho.

“Como diz Paulo Coelho, com a força da nossa vontade e amor, podemos mudar”, afirmou arrancando aplausos da plateia.

A banda Afroreggae, formada há 18 anos depois de uma chacina de 21 moradores na favela Vigário Geral, se apresentou com um repertório nacional e internacional.

Pela manhã, Obama e a família visitaram durante meia hora a favela Cidade de Deus. No discurso da tarde, ele elogiou o trabalho de pacificação nas favelas.

“A esperança está voltando para o lugar onde o medo costumava reinar. As pessoas não devem olhar apenas com piedade para as favelas, mas como uma fonte de médicos, advogados, pessoas que vão apresentar solução”.

Enquanto Barack Obama discursava no teatro, Michelle Obama conhecia a Cidade do Samba. À noite, o casal e as filhas, Malia e Sasha, encerraram a programação no Brasil visitando a estátua do Cristo Redentor. (com Agências)

– 21/03/2011